Limpeza e desinfestação dos locais públicos

No combate à propagação da COVID-19, a desinfestação efectuada com técnicos de saúde que teve o arranque em meados de Setembro sob a coordenação do Concelho Nacional de Preparação e Respostas às Catástrofes (CONPREC), continua a proceder de forma quase diária, a limpeza e desinfestação dos locais públicos onde exista uma maior concentração de pessoas e nos equipamentos públicos.

A campanha de desinfestação, onde o objectivo é haver uma redução da carga viral da COVID-19 existente, privilegia sobretudo os locais que têm maior concentração de pessoas, abrange os locais públicos, incluindo zonas de venda de produtos alimentares, locais de cultura, lazer, edifícios da administração pública, de modo a garantir condições de segurança contra esta pandemia quer aos fornecedores de bens e serviços, assim como compradores e consumidores, em suma à população em geral que os frequenta.

Mas esta desinfestação, não quer dizer que não se deve rever os comportamentos existentes, a criação de hábitos regulares de desinfecção, como a higienização das nossas mãos, ou higienização dos locais de trabalho, e dos lares é fundamental. A finalidade é proteger-nos, para tal, é essencial sabermos manter uma correcta da higiene regular.

O programa também está disponível para todos os particulares que solicitarem o serviço de desinfestação das suas empresas privadas e residências.

Esta acção, que tem o gerenciamento do CONPREC, é uma parceria do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com o financiamento do Governo de Canadá.

O CONPREC é uma entidade criada em 2011 através de Decreto-lei, para fazer face às diferentes catástrofes e manter um sistema organizado no pais que faça face às diferentes catástrofes que têm vindo a surgir, o CONPREC é composto por técnicos de diferentes instituições: Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação e Comunidades, Ministério da Saúde, Ministério do Trabalho, Solidariedade e Família, Forças Armadas, Polícia Nacional, Protecção Civil e Bombeiros, Autoridade Geral de Regulação; Instituto Nacional de Meteorologia, Direcção Geral do Ambiente, Cruz Vermelha de São Tomé e Príncipe e Representante do Ministro Secretário do Governo.

MS – 26.09.2020