Programa Saúde Oral

A saúde oral segundo o plano de ação 2014-2020, é classificada como a componente essencial da saúde geral, e o papel do Ministério da Saúde é o de orientar as políticas para a melhoria da saúde oral da população. As doenças orais estão entre as doenças não transmissíveis (DNT) mais comuns que podem ser prevenidas. O seu encargo e impacto sócio-económico, bem como as suas consequências sobre a saúde e o bem-estar são significativos na Região Africana da OMS.

Situação atual
O Sector de Estomatologia está inserido no Programa de Luta contra Doenças Não Transmissíveis do Ministério da Saúde. Dentre oito (8) unidades de saúde existentes em São Tomé e Príncipe, quatro (4) têm serviços de Estomatologia estatais, sendo três (3) em São Tomé e um (1) na região do Príncipe e dois (2) Serviços de Estomatologia Privados, dando uma taxa de cobertura de 50%. Em relação aos recursos humanos, existe um (1) Cirurgião Maxilofacial, quatro (4) Médicos Estomatologistas, oito (8) técnicos de Estomatologia, e dois (2) técnicos de ortodontia.

A causa de maior procura dos serviços é a cárie dentária. Dados epidemiológicos de Saúde Oral em STP mostraram que num universo de 1710 crianças de 6 a 13 anos de idade, examinadas, 58,5% apresentaram cárie dentária. No estudo realizado em 2010 verificou-se que num total de 1057 crianças de 5 a 14 anos de idade, 60,8% apresentaram cárie dentária. Os distritos com maior prevalência de cárie foram a Região Autónoma de Príncipe com 87,5% e o Distrito de Lobata com 82,2%, enquanto os outros distritos apresentaram menor prevalência. O estudo mostrou ainda que 82% usavam pasta dentífrica com flúor. Segundo o Inquérito do estudo STEPS em STP a média de consumo do Tabaco é de 3,5%, sendo 6,5% para os homens e 0,8% para as mulheres. A média do consumo do álcool foi de 84,5%, sendo 89% para o sexo masculino e 80,5% para o sexo feminino. A média do consumo de açúcar foi de 6,5%, sendo 6,2% para o sexo masculino e 6,8%  para o sexo feminino.

Objetivo Geral
Controlar as doenças orais em São Tomé e Príncipe contribuindo para a redução das doenças não transmissíveis através de abordagens dos fatores de risco.

  • Objetivos Específicos
    Fortalecer a advocacia nacional, a liderança, a ação entre os setores e as parcerias para a prevenção e controlo de doenças orais;
    Reduzir os fatores de risco mais comuns de doenças orais e doenças não transmissíveis, promoção da saúde oral e geral e garantindo o uso regular e geral de fluoretos apropriados;
    Reforçar a capacidade do sistema de saúde para a prevenção e controlo integrado de doença orais;
    Melhorar a vigilância integrada das doenças orais, monitorizar e avaliar os programas e a pesquisa operacional.

Estratégias
Capacitar os Técnicos de Estomatologia e agentes comunitários da saúde para a sensibilização eficaz da sociedade civil;
Contribuir ativamente para o desenvolvimento ou atualização das ações nacionais das DNT;
Apoiar os técnicos de Estomatologia no desenvolvimento e implementação de planos de ação para lutar contra as doenças orais e doenças não transmissíveis;
Promover o estabelecimento e avaliação de parcerias eficazes no âmbito da saúde oral, dentro e fora do sector da saúde;
Melhorar o acesso aos cuidados primários de saúde oral de toda a população, principalmente nas áreas desfavorecidas;
Mobilizar e facilitar a participação da comunidade no planeamento, implementação e monitorização de programas relacionados com promoção e prevenção nos cuidados de saúde oral.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *