Programa Saúde Materno Neonatal

Os principais desafios na redução da mortalidade materna e neonatal são os seguintes: 

1. Fatores do sistema de saúde – Infraestruturas de saúde inadequadas, acesso geográfico limitado aos serviços de saúde, qualidade inadequada dos serviços e recursos humanos disponibilizados, falta de profissionais qualificados, falta de equipamentos e suprimentos, capacidade limitada de gestão da saúde e inadequada coordenação entre as instalações públicas.

2. Fatores não relacionados com o sistema de saúde – Capacidade limitada dos agentes de saúde comunitária para cobrir as questões neonatais, crenças e práticas culturais sociais e desigualdade de género e comportamento limitado na busca dos cuidados de saúde.

Em resposta a essas prioridades, o subsector do Programa de Saúde Materna definiu estratégias para acelerar a redução da morbilidade e mortalidade maternas e neonatais, como indicado no decurso do texto.

Objetivo Geral
Melhorar a prestação dos serviços obstétricos e neonatais nos serviços de saúde.

Objetivo Específico
Mobilizar recursos para a formação, melhoria de infraestruturas e a aquisição de
equipamentos;
Mobilização e participação da comunidade;
Promover a parceria estratégica participativa;
Promover a comunicação, informação, educação e mudança comportamental.

Estratégias
1. Mobilização de recursos:
Defender metas maternas e neonatais e aumentar as decisões baseadas em evidências;
Promover intervenções com boa relação custo/eficácia e alocar recursos suficientes para alcançar metas nacionais e internacionais.

2. Fortalecimento do sistema de saúde:
Apoiar o desenvolvimento de capacidades em todos os níveis do setor da saúde;
Garantir a prestação de serviços de qualidade para alcançar uma cobertura populacional elevada das intervenções maternas e neonatais de forma integrada.

3. Mobilização e participação da comunidade
Melhorar as práticas fundamentais de cuidados maternos, neonatais e infantis;

Gerar procura por serviços e aumentar o acesso aos serviços nas famílias dentro da comunidade, usando as mulheres comunitárias de saúde em particular.

4. Promover a parceria estratégica participativa

Implementar intervenções promissoras entre Ministério da Saúde, as associações profissionais, os doadores, as ONGs, o sector privado e outras partes interessadas
envolvidas na programação e financiamento conjuntos de atividades e análises técnicas.

5. Comunicação de informação, educação e mudança comportamental

A promoção de um comportamento adequado à saúde reprodutiva é fundamental para acelerar a redução das mortes maternas, neonatais e infantis. O envolvimento
do homem em todas as questões relacionadas com a saúde da mulher e da criança é essencial, se verdadeiras melhorias e mudanças positivas forem feitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *